22 de abril de 2017

Precisamos falar sobre depressão I



[Esse é um relato sobre como é viver com depressão, ou como sobreviver (conviver?) à ela.
Assim como a doença, este relato é real. Pessoas morrem todos os dias, e a gente não se dá ao luxo de tentar entender o porquê.]

No lado escuro da depressão – A crise.

Quando fui convidado para fazer este texto com o meu relato, eu comecei a pensar: ”Como começar?”, pois você meio que não sabe quando começa a ter depressão, aliás, qualquer doença é mais ou menos assim, a gente nunca sabe quando em si começou e o porquê começou. Se a depressão fosse um oceano, pessoas como eu, já estariam afogadas ali e estariam ali, por naufrágio e se afogando, mesmo sem saber como foi parar ali.

Seguindo essa linha de pensamento, a gente naquela hora não quer saber muito como chegou ali, a gente quer saber como sair e eu costumo ter um toque de esperança de que um dia eu vou sair, aliás, todos os dias quando eu não cedo aos flertes do suicídio, a crise existencial, a pressão psicológica, a falta de vitamina D e consigo ao menos naquele dia nadar contra a maré, já considero um dia que sai da depressão.

Todos nós temos pressões psicológicas e ficamos tristes, afinal isso nos tornam humanos, não é? Porém, a depressão é muito mais do que apenas um momento triste, porque aquele momento vai passar. A depressão é como uma “dorzinha” de cabeça que começa e você acha que vai passar, mas não passa e ela te acompanha, te atormenta, vira o seu próprio inferno.

Motivos que levaram a isso? Tem tantos a serem enumerados e é difícil descrever um por um, mas vou falar de três motivos que são muito, mais muito forte e são assuntos que realmente necessitam ser falado:

A primeira coisa, gira em torno do politicamente correto, palavras tem poderes mágicos, de matar alguém por dentro, de definir alguém ou de ajudar alguém. Quando pequeno, eu sofri muito bullying na escola, por palavras que machucam e dessas palavras eu fui definido e por isso me tornei uma pessoa solitária no meio social dentro da escola, ninguém queria fazer trabalhos comigo, ninguém queria sentar comigo no recreio, nem um bom dia eu recebia.


Uma vez eu fui recebido sim, sendo empurrado morro a baixo, pra ver se “bola rolava”, porque eu sempre fui uma pessoa gordinha e também muito afeminada, o que levou a ser motivo de chacota individualmente e publicamente. Infelizmente, tive que carregar isso calado, pois meus pais atacavam, como se a culpa fosse minha “por ser gordo e viado”, pronto... Meu mundo acabou ali!

Foi quando comecei a mutilar meu corpo e passei a seguir essa idéia e a me odiar também, por isso eu me mutilava todos os dias.

A segunda coisa é mais pesada: eu fui abusado sexualmente por um parente meu e esses abusos sexuais repetitivos, acabou gerando uma violência sexual. Hoje esse meu parente, é um pastor de igreja e eu estou aqui e sou a abominação da família, ele esta em seu segundo casamento e tem 4 filhos, mas é pastor de igreja e ele não é vergonha alguma pra família, porém eu??? Ah, eu sou por ser transgênero e assexual.

A terceira coisa foi o fato de ser incompreendido em diversas partes:

Eu comecei a flertar com o suicídio em meados dos meus 12 pra 13 anos, que foi quando eu tentei pela primeira vez me suicidar, porém eu era incompreendido, porque antes de fazer isso, eu havia avisado que eu iria fazer isso e meus pais me responderam: ”Isso é frescura de idade”, o que me gerou seqüelas e eu parei em um hospital e outras seqüelas a mais, dos 12 pra 13, até hoje com 21 anos flerto com o suicido.
Incompreendido por ser LGBT: Pergunte-se o que é ser assexual? E logo virá na sua cabeça uma pessoa que não faz sexo ou está em abstinência, porque não fica há bastante tempo. Pois há inúmeras piadas em torno disso e por ser bastante incompreendido, acabei parando em psicólogos, porque eu não tinha acesso de saber, o que eu era, achava que estava doente, me definia “homossexual”, pois era o mais próximo da realidade que eu vivia. É triste demais, saber que há pessoas como eu, porém são incompreendidas, porque não há espaço na mídia pra falar sobre assexualidade de fato.

Há outros pontos a serem listados, mas esses foram importantes a serem ditos.
Deixo como mensagem o seguinte:
No fundo do túnel se caçar há uma luz, sempre haverá e você terá duas opções, procurar o tratamento ou não lutar contra. 



Escrito por Leonardo Bastos.


18 comentários:

  1. Que relato forte...Existem tantos pontos que merecem ser analisado aí...o abuso sexual, o fato de ser tímido, etc...não deve ter sido nada fácil.
    Eu sou mais velha, tenho 32 anos, mas a depressão sempre existiu e quando eu era mais nova vi alguns traços dela em algumas pessoas que eu conhecia e em mim mesma. Só que levei anos para entender que depressão não era frescura e sim doença, e se tratada ela pode ser facilmente controlada. Espero que esta doença endêmica nos dias atuais possa ser minimizada nas gerações futuras. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, mas como eu digo, só poderá ser tratada se falarmos sobre, e tratarmos como uma doença, que é o que ela é. Senão, não tem jeito.

      Continue forte <3

      Excluir
  2. É muito triste a vida com depressão e é bom que as pessoas saibam que não é charminho, é doença que precisa de tratamento e cuidado com a pessoa que amamos.

    ResponderExcluir
  3. Esse é um assunto muito importante que sempre que possível deve sim ser veiculado em nossos blogs e redes sociais. Muito se fala sobre a depressão por causa da série 13 reasons whay e o jogo da baleia azul mas o fato é que a depressão existe há tempos e a todo momento devemos estar atento as sinais que as pessoas emitem a nossa volta. Uma vez li um comentário de um pai falando que nossa geração era mimimi pq hj em dia não se pode bater para educar e que na época dele não tinha essas "frescuras" pq tudo se resolvia na porrada. É tão lamentável ver pais dessa forma, porque entendo que essa forma nos quais eles foram educados apenas serviu para tornar adultos irresponsaveis sem a mínima capacidade de se dedicar aos filhos, vi na pele o descaso de pais ausentes e sei o qto isso é difícil de ser suportado. Desejo mta força e paz ao Leonardo, e principalmente para que ele consiga se afastar de todas as pessoas prejudiciais a sua vida, seja quem for. Bjs!
    Blog Positividade Fashion

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo seu comentário, Dri. Disse tudo, espero que o Léo leia

      Excluir
  4. É um assunto muito sério e que deveríamos falar sempre.
    Infelizmente aqui no Brasil as pessoas são muito ignorantes e acham que tudo isso é normal, que a pessoa é maluca, que foi falta de tapa quando era criança, mas não é assim, cabe os pais, a escola verem se o comportamento esta diferente e ajudar , de dedicar mais.
    Quando se é adulto, a pessoa tem que enxergar que precisa de tratamento, nem sempre enxerga, por isso sempre tem que ter o apoio de quem ama

    ResponderExcluir
  5. O que me doi é saber como existem pessoas no mundo dedicadas a fazerem outras infeliz, a ferir e machucar o profundamente possível outro ser humano. Espero que essa pessoa do relato encontre a paz em sua vida, encontre o amor em pessoas boas e acolhedoras e que não perca a fé em si mesmo. Suicídio é assunto sério e devemos ficar atentos e não tratar isso como brincadeira. Bjos de luz

    ResponderExcluir
  6. Eu conheço muita gente que passa isto de relacionamento abusivo e é tão triste sabe? Ver a pessoa se sentir culpada por algo que ela é a vitima e não o outro. É viver com medo da pessoa e da sociedade.
    Adorei este post por tentar abrir os olhos de muitas pessoas nesta situação.

    alana zoz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, muito gente passa por isso e as vezes falta muita empatia e compreensão

      Excluir
  7. Nossa! Que assunto forte e sério, que deveria ter mais impacto e solução. Na verdade quando alguém tira de nós o motivo de "sorrir", é claro que não tem solução, porém quando a justiça é feita, nos sentimos mais aliviadas! É complicado para uma pessoa falar sobre tudo que passa ou passou, por se tratar de uma situação tão invasiva né? Eu não tenho o que falar dessa pessoa que você citou, mas a justiça de Deus não falha e não adianta ele se esconder por trás da santidade que ele não tem. Não se culpe e não ligue para o que essas pessoas que foram contra você pensam, pois nenhuma delas passou pela mesma situação que você. Enfim Parabéns por conseguir escrever algo tão importante que com certeza abrirá os olhos das pessoas que estão na mesma situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse texto é do Léo, mas é a realidade de muitas outras.

      Obrigada pelo seu comentário

      Excluir
  8. Olá! Apesar de indiscutivelmente triste, é muito bom ler o seu relato, Leonardo, saber que você conseguiu colocar isso pra fora de alguma forma (provavelmente só a pontinha do iceberg, mas tá valendo) e é ótimo que outras pessoas leiam também. O primeiro mito que a gente precisa quebrar é de que depressão é sinônimo de tristeza, de frescura, que é uma fase, que vai passar sozinho como um resfriado. Claro que vai passar, mas se vc não tiver um suporte vai ser muito mais lento e difícil. Depressão é uma doença séria, que afeta o psicológico e também o físico, e não me refiro só a mutilações e suicídio, mas também a processos químicos loucos que acontecem em um corpo depressivo. Mente sã, corpo são, né? Precisamos de mais consciência para que haja a cura. Basta de ignorância.

    E Gleice, parabéns pelo espaço de discussão e incentivo!
    Beijos!
    www.metamorphya.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, seu comentário só traz verdades.

      Eu quero sempre dar voz pra pessoas que não tem, que foi tirado delas.
      obrigada, flor. beijos

      Excluir
  9. Eu sou uma pessoa que sobreviveu à depressão e hoje posso falar de felicidade, de muita felicidade! Trato de auto-estima e aceitação em meu blog exatamente por saber que são partes da nossa vida onde sofremos demais, seja como for. Parabéns pela iniciativa!!!
    Bjs
    LetS
    www.leticiaseki.com

    ResponderExcluir
  10. Nossa que relato forte! Infelizmente, a depressão tem se tornado mais comum hoje em dia do que imaginamos, sei de vários pessoas que sofrem desse mal e é muito triste. Recentemente soube de um caso onde depois de uma descoberta de traição do marido, uma mãe entrou em depressão e acabou se suicidando, deixando dois filhos pequenos. Ainda estou muito abalada com tudo isso, pois eram pessoas próximas a mim.
    Não podemos nos calar, temos que tratar abertamente desse assunto, as pessoas tem que saber! Depressão mata.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre existiu, hoje temos mais informação, mais mídia pra nos comunicarmos e fica mais fácil saber de alguém que estava sofrendo, o problema é que cm a falta de atenção, a gente acaba descobrindo tarde demais

      Excluir